Consultas Online



Enquete

Pagamento de Dívidas dos Consumidores Cai 4,8% em Março
22 de Abril, 2014
Pagamento de dívidas dos consumidores cai 4,8% em março, diz Boa Vista SCPC

Contudo, houve elevação de 1,8% no primeiro trimestre de 2014 em relação ao mesmo período de 2013

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes – recuou 4,8% na comparação entre março e fevereiro, descontados os efeitos sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Desta forma, o valor acumulado em 12 meses (comparação entre abr/13 até mar/14 e abr/12 até mar/13) manteve-se em tendência de desaceleração, passando de 3,0% para 2,6% em março.

O menor crescimento da população ocupada no mercado de trabalho, a desaceleração dos rendimentos reais, a queda recente da inadimplência, entre outros fatores, continuam influenciando na redução do ritmo de crescimento do indicador de recuperação de crédito. A tendência é que esta desaceleração se mantenha ao longo de 2014.

Regiões

Na comparação mensal dos dados dessazonalizados, houve queda em todos os indicadores regionais no período, destacando-se a queda de 5,9% nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. Nas regiões Nordeste e Norte as quedas foram um pouco mais moderadas, 4,2% e 3,4%, respectivamente. Já na região Sul, a recuperação caiu somente 0,2%.

Quando confrontados os últimos 12 meses contra os 12 meses anteriores, o Sudeste, região onde a recuperação de crédito cresceu apenas 0,3%, puxou para baixo o resultado do indicador geral, tendo em vista que nas demais regiões o crescimento maior. Na região Centro-Oeste, o indicador cresceu 7,2%, no Norte 6,5%, no Nordeste 5,7% e no Sul 4,8%.

Varejo

A recuperação de crédito no setor varejista permaneceu negativa em março, evidenciando a tendência de queda do indicador para 2014. Na variação acumulada em 12 meses, o indicador permaneceu numa trajetória de queda, passando de -2,5% em fevereiro para -4,6% em março.

Mantida a base de comparação anterior, foi observada queda em todas as regiões. O Nordeste e o Sul registraram as variações mais intensas, de 6,9% e 5,5%, respectivamente. No Sudeste a queda foi de 4,0%, no Norte de 2,5% e no Centro-Oeste de 1,9%.

Flashes do 1º Fórum da Confederação das Associações Comerciais e Industriais do Brasil - CACB MIL
4 de Abril, 2014


O 1º Fórum Nacional CACB Mil, foi realizado em Brasília, nos dias 2 e 3 de abril de 2014, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. A Associação Comercial e Industrial de Itumbiara - ACII foi representada no evento pelo atual Presidente Lauro Ferrão e pelo tesoureiro e vice presidente da FACIEG, Luciano Marques. Entre os convidados do primeiro dia do Fórum, 2 de abril, estava Guilherme Afif Domingos, ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, que apresentou a palestra sobre as MPEs no contexto econômico atual. No painel sobre Planejamento e Gestão, falaram Luiz Barreto, diretor presidente do Sebrae Nacional, e Osmar Dias, vice-presidente de Agronegócios e  Micro e Pequenas empresas do Banco do Brasil. Houve ainda conferência sobre Sustentabilidade Econômica, painel sobre Empreendedorismo Vitorioso e, finalmente, a palestra com o economista e professor do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), Eduardo Giannetti da Fonseca.


Presidente da ACII - Lauro Ferrão presente no 1º CACB MIL em Brasília


As atividades do dia 3 de abril começaram com uma conferência sobre novas tecnologias: tendências, ameaças e oportunidades. Em seguida, o professor da Fundação Getulio Vargas, Caio Luiz Cibella, apresentou o painel Experiências em Serviços, que  abordou o tema do  turismo e a Copa do Mundo 2014.  O Fórum quer estimular a integração e o debate entre as Associações Comerciais e Empresariais (ACEs) e identificar ameaças à sobrevivência dos negócios no País além de difundir as boas práticas associativas.


Tesoureiro e Vice Presidente da FACIEG, Luciano Marques e Lauro Ferrão

Nesta primeira edição, a CACB  conseguiu reunir mais de mil presidentes de ACEs. Além dos Presidentes de Associações, também participaram técnicos, executivos e parceiros da CACB, totalizando um público de 3 mil pessoas. O evento teve o apoio da Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa (SMPE), do Governo do Distrito Federal, e conta com o patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae)


Lauro Ferrão participa de palestras no 1º CACB MIL em Brasília 


Discurso da Presidente Dilma Roussef . A fala completa você confere em: www.brasil.gov.br/governo/2014/04/em-brasilia-dilma-participa-de-forum-empresarial
CACB MIL
2 de Abril, 2014

Foto: Internet

A Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) é uma entidade empresarial que congrega, em seu sistema, 2,3 milhões de empresas – mais de 90% inscritas no Super Simples. A ampla capilaridade da CACB está representada pelo número de filiadas. São 2.300 Associações Comerciais com adesão voluntária no País, abrigadas em 27 Federações.  A CACB promove a realização de um evento que tem como meta a participação de no mínimo 1.000 presidentes de Associações Comerciais e Empresariais de todo o Brasil. O 1° Fórum Nacional CACB Mil corresponde a ação associativa de maior relevância e amplitude no país, especialmente por seu caráter estruturador em relação a propostas de interesse empresarial para os pequenos negócios.

O 1º Fórum Nacional CACB Mil, foi aberto pela presidenta Dilma Rousseff e está sendo realizado em Brasília, nos dias 1, 2 e 3 de abril de 2014, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Com o objetivo de estimular a integração e o debate entre as Associações Comerciais e Empresariais (ACEs), dirigentes e técnicos governamentais ligados ao setor, pesquisadores, parlamentares, empresários e outros profissionais liberais e também parceiros da CACB.  Estima-se a participação de um público de 3 mil pessoas. Na programação, estão previstas palestras coordenadas por especialistas, com foco no cenário político-econômico do país e do mundo. Também serão realizadas plenárias, painéis temáticos e feira de negócios. O evento tem o apoio da Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa (SMPE), do Governo do Distrito Federal, e conta com o patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O Presidente da ACII, Lauro Ferrão juntamente com o tesoureiro Luciano Marques participam do 1º Fórum Nacional CACB Mil levando as reivindicações e sugestões da classe empresarial de Itumbiara. Em breve no site as fotos e notícias do Evento.
Plano de Carreira
17 de Fevereiro, 2014

Foto: Internet



Planos alternativos de carreira: é hora de partir para um negócio próprio?

 

Por Marcos Morita

Atire a primeira pedra quem nunca pensou em largar a vida corporativa e ser dono do próprio nariz. Horários inflexíveis, relatórios sem sentido, chefes intolerantes, tarefas repetitivas, clientes intransigentes, viagens, colegas mal humorados, reuniões intermináveis e funcionários que só fazem reclamar são parte da extenuante rotina, existente desde os tempos de Adan Smith, defensor dos benefícios da divisão do trabalho. De uma maneira menos robotizada e com supervisão mais branda, a verdade é que continuamos a vender nossa mão de obra por pelo menos oito horas diárias, tal qual Charles Chaplin em Tempos Modernos.

A certeza do salário no final do mês, as férias remuneradas, o fundo de garantia, o plano de previdência, os bônus e as participações nos lucros, o plano médico e odontológico, o carro da empresa, a gasolina paga, a previdência complementar, o reembolso educação, o vale alimentação, a cesta básica, a licença maternidade e as demais regalias costumam pesar bastante, pendendo a balança para o lado original. Resignados, engolimos mais um sapo para a nossa coleção, sublimando nossa insatisfação até que o próximo ataque de inconformismo apareça.

Para completar a equação desfavorável, já se foi o tempo em que um profissional costumava passar a vida inteira em uma empresa. A maior competição trouxe a necessidade de reduzir custos, o que atrelada à menor lealdade de lado a lado fez com que executivos maduros e qualificados disponíveis no mercado se tornassem lugar comum. Sem ofertas de trabalho adequadas ao seu perfil, acabam partindo para o plano B sem preparação prévia, num momento em que suas finanças e mente encontram-se fragilizadas.

Uma saída para esta armadilha está no planejamento de carreiras alternativas, investindo parte de sua renda e tempo disponível em um novo negócio ou profissão enquanto ainda se está na ativa, construindo redes de proteção para a aposentadoria ou eventuais cortes de pessoal, além é claro da satisfação em conduzir um outro empreendimento. Para ilustrá-la, trago a experiência de Steve Jobs e do escritor Chris Guillebeau, autor da A startup de $ 100, cujo livro traz histórias inspiradoras de gente que fez esta transição. Vejamos algumas dicas.

Convergência: é a intersecção entre algo que você gosta de fazer ou é bom fazendo (de preferência os dois) e algo pelo qual as pessoas também se interessam ou estão dispostas a pagar. Um colecionador de soldadinhos de chumbo talvez não tenha um grande mercado. Enologia, gastronomia, trabalhos artesanais, jardinagem, esportes radicais e viagens por outro lado, costumam despertar o interesse de bastante gente. Quando a paixão ou a habilidade se encontram com a utilidade e uma proposta de valor atraente, há chances de um negócio interessante surgir.

Transformação de habilidades: diversos projetos começam com o uso de habilidades relacionadas. Para elucidá-la, pensemos em um professor. Em geral são bons não apenas lecionando, mas também em áreas como comunicação adaptabilidade e controle de pessoas, as quais podem ser utilizadas para abrir um negócio. Pense em você agora. Quantas vezes não ouviu ou disse para outra pessoa que era hábil em determinada atividade, mesmo sem exercê-la? Há ex-jogadores que se deram bem como treinadores, outros como comentaristas.

Juntar os pontos: a preocupação com planos alternativos de carreira costuma chegar com os cabelos brancos, quando decepções, frustrações, desafios e vitórias compõem o que chamamos de experiências passadas. Steve Jobs relatou de maneira perfeita este sentimento em seu famoso discurso proferido aos formandos de Stanford: "Você não consegue ligar os pontos olhando para a frente, só consegue ligá-los olhando para trás. Desta forma, há que confiar que os pontos se ligarão algum dia no futuro". Apesar disso, planejamento e objetivos claros não atrapalham.

Enfim, convergência mais transformação de habilidades mais juntar os pontos, costumam ser sinônimo de sucesso para iniciar um plano alternativo de carreira. Pare, pense e faça um inventário de suas habilidades, vocações e hobbies, assim como se desejaria torná-la uma profissão no futuro. Com relação a viabilidade, identifique eventuais lacunas no mercado que ainda não estão cobertas, como especialista no tema creio que não será difícil. Faça entrevistas com futuros clientes, converse com especialistas e parta para a ação. Cabe a você abrir mão de sua comodidade e zona de conforto, dedicando um pouco de seu tempo para construir seu futuro. Só não vale dizer que não sabia.

Marcos Morita é mestre em Administração de Empresas, professor da Universidade Mackenzie e professor tutor da FGV-RJ. Especialista em estratégias empresariais, é colunista, palestrante e consultor de negócios. Há mais de quinze anos atua como executivo em empresas multinacionais.

Sobre Marcos Morita:

www.marcosmorita.com.br

professor@marcosmorita.com.br

Informações para a imprensa:

InformaMídia Comunicação

morgana@informamidia.com.br

(11) 2834 9295 / 97996-5949

Juliana Colognesi
juliana@informamidia.com.br
(11) 2834 9295/ 98393 3689

 

SEBRAE Apresenta Agentes de Inovação - ALI
7 de Fevereiro, 2014

Foto: Internet


O Presidente da Associação Comercial e Industrial de Itumbiara – ACII, Lauro Ferrão recebeu a visita da Gestora de Projetos do SEBRAE Kelly Kuramoto para apresentação do PROGRAMA ALI – Agentes Locais de Inovação,  que  é um programa voltado à promoção da Inovação nas Micro e Pequenas Empresas. Este Programa ALI tem uma grande divulgação no programa Pequenas Empresas, Grandes Negócios apresentado pela Rede Globo aos domingos de manhã.  Kelly Kuramoto veio acompanhada de Verônica dos Santos e de Frederico Santana, que atuarão na cidade de Itumbiara como Agentes do Programa que irá atender inicialmente os segmentos de Supermercados, Padarias, Restaurantes, Bares, Lanchonetes, Sacolão e Açougues.  O Presidente Lauro Ferrão reafirmou a parceria com o SEBRAE e colocou a ACII à disposição para todo suporte necessário para a execução do Programa que é totalmente gratuito e visa principalmente ajudar as Micro e Pequenas Empresas a buscar o diferencial para se tornarem cada vez mais competitivas e fortalecidas para obterem sucesso nos negócios. Aos interessados em receber uma consultoria gratuitamente para seus negócios, procure a secretaria da ACII ou maiores informações pelo telefone (64) 3431-2973